sábado, 25 de julho de 2009

Yagé - Set








Uma sonoridade selvagem e climas envolventes, um groove poderoso e fortemente dançante, combinados de forma equilibrada e original com vocais hipnóticos, percussões quentes, sons sintetizados altamente psicodélicos e instrumentos étnicos dão a Yagé uma personalidade única e um espaço próprio no universo do psy trance. A incrível energia de suas apresentações ao vivo converte a pista de dança num autêntico ritual de êxtase e dança coletiva. Integrado por Ninad, produtor que ao vivo controla sequencers, sinthes e efeitos, e pela flautista e vocalista Raghini, elevando a audiência com suas melodias vibrantes, Yagé oferece um live act no verdadeiro sentido da palavra, no qual, soma a riqueza e a frescura de uma interpretação ao vivo a um som potente e de alta definição, que já levou ao delírio pistas de dança de muitos dos maiores festivais de trance do mundo (Sonica, Voov Experience, Trancendence, Universo Paralello, Monte Mapu).
Ninad, originalmente da Argentina, depois de longas jornadas explorando a música clássica e contemporânea do continente Sul Americano, vive atualmente no Brasil. Ele incrementa o projeto com sua rica experiência de muitos anos como músico de bandas acústicas. Essa característica e seu profundo conhecimento sobre orquestração explicam seu toque único na conexão entre a parte eletrônica e os elementos acústicos, criando o estilo único do Yagé. Raghini também mora no Brasil, é uma música completa, tendo recebido seu master em música e canto pela Universidade de Mar Del Plata, Argentina, seu país Natal. Ela vem tocando e compondo para várias bandas e formações diferentes na última década, incluindo, mantric mambo, o círculo de ayahuasca idealizado por Yatra. As doces melodias de Raghini, sua voz e flauta refinada e delicada invocam os deuses e crião canticos na audiência.







2 comentários:

  1. realmente Yagé se destaca pela harmonia de seus elementos musicais que por hora são tão distintos, mas que no levar da música, cada um se completa. Adoro esse som orgânico, mistura de ritmos eletrônicos com instrumentos étnicos, como você mesmo disse.
    Parabéns pelo post, fico contente de ver música boa sendo dissipada nesse espaço.

    ResponderExcluir